Análise de pesquisas com vantagem de Lula contesta tese de ‘polarização’
22/07/2021 11:54 em Política

Segundo pesquisas, ex-presidente venceria não apenas Bolsonaro, mas qualquer concorrente. Cenário aponta para preferência, e não falta de alternativa

São Paulo – “É precipitado, ou artificial, afirmar que o cenário eleitoral como um todo e a força de Lula nas pesquisas de intenção de voto se devam à chamada polarização”, afirma a Fundação Perseu Abramo (FPA) em boletim do Núcleo de Opinião Pública, Pesquisa e Estudos (Noppe). O grupo analisou levantamentos feitos por seis institutos na primeira semana (de 1º a 8) deste mês. Por um lado, a fundação vinculada ao PT observa que todas as pesquisas, sejam presenciais ou telefônicas, mostram “rara convergência”. Neste momento, apontam o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) com aproximadamente 40% das preferências do eleitorado e o atual, Jair Bolsonaro (sem partido), em torno de 25%. Os demais pré-candidatos ficam com 15%.

Centro-direita ainda sem nome

Assim, no cenário de momento, segunda as pesquisas, Lula não venceria só Bolsonaro no segundo turno, mas todos os concorrentes. “Além disso, as candidaturas de centro-direita até agora oficialmente colocadas ou em fase de ensaios não teriam a mesma força de Lula no segundo”, diz o Noppe. “Algumas delas – Doria, Mandetta e Eduardo Leite – seriam, inclusive, derrotadas pelo atual presidente caso o enfrentassem no segundo turno”, acrescentam analistas, citando possíveis candidatos de DEM e PSDB.

Pesquisa do Datafolha realizada nos dias 7 e 8, por exemplo, aponta o atual presidente como candidato dos empresários: 56%, ante 34% para Lula. Já o petista tem larga vantagem (57%) entre eleitores com renda de até dois salários mínimos. Além disso, os analistas destacam empate entre as duas candidaturas no segmento que ganha acima de 10 mínimos.

“À exceção da pesquisa do Ideia Big Data, que testa apenas cenários reduzidos para mensurar a viabilidade de candidaturas de centro-direita (como Doria, Eduardo Leite e Mandetta), Lula tem mais de 10 pontos percentuais de vantagem sobre Bolsonaro e os candidatos da centro-direita apresentam pouca competitividade”, afirma o Noppe.

Desalento da terceira via

Em outra pesquisa, XP/Ipesp, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), perderia para Bolsonaro no segundo turno, por 4 pontos percentuais. “Para desalento dos teóricos da chamada terceira via”, acrescenta o Noppe. Outro tucano, o governador gaúcho Eduardo Leite, também perderia, assim como o ex-ministro da Saúde Henrique Mandetta (DEM).

Levantamento da Quaest para o banco Genial aponta fracasso do atual presidente na tentativa de pautar a questão do voto impresso. Segundo a pesquisa, 61% afirmaram nem sequer ter conhecimento da polêmica. Há uma proposta de emenda à Constituição (PEC) sobre o tema em discussão na Câmara.

Por outro lado, a CPI da Covid, no Senado, é vista com atenção. Segundo a PoderData, 74% dos entrevistados estão acompanhando os debates, que comprometem o governo. Dessa forma, as pesquisas XP/Ipespe e Datafolha refletem a percepção de que o presidente da República sabia dos atos de corrupção na compra de vacina, com 63% e 64%, respectivamente.

COMENTÁRIOS
APOIO CULTURAL